• Equipe Automatik - Sivuca

Seja feliz com seu câmbio automatizado

Atualizado: 27 de Set de 2019

Entendendo o câmbio automatizado

Diferente do câmbio automático tradicional, que é um projeto inteiramente voltado para esta finalidade, no câmbio automatizado, os engenheiros partem de uma caixa de transmissão manual comum, onde basicamente fazem uma adaptação baseada em dispositivos eletrônicos e mecânicos (braços robotizados) capazes de fazer as mudanças de marchas.


Temos então um sistema gerenciado por uma central eletrônica e uma bomba hidráulica específica, que através de solenoides e atuadores e de braços mecânicos constituem um dispositivo (trambulador) robotizado capaz de atuar na árvore de mudanças e de gerenciar a embreagem, mudando as marchas sem auxílio do motorista.

Esta é a primeira geração deste tipo de câmbio, as transmissões DSG também são automatizadas, mas inteiramente diferentes e mais eficientes. Saiba mais neste post.


Como é para dirigir?

Diferente de uma transmissão automática clássica, a troca das marchas do câmbio automatizado se sente muito parecida com aquelas trocas da transmissão manual, ou seja, o sistema provoca a queda da aceleração, a embreagem entra em ação para só então acontecer a mudança de marchas, depois o sistema volta a acelerar e assim por diante. Como era de se esperar, as mudanças são tão (ou mais) lentas quanto em uma transmissão manual, afinal é necessário aguardar a desaceleração para que aconteça a mudança e a posterior reaceleração, assemelhando-se ao tempo gasto para as trocas de marchas empregado por uma pessoa que dirige tranquilamente. 



Uma vez que a maioria dos carros possui acelerador eletrônico, então o próprio sistema envia um comando que 'alivia' automaticamente o acelerador para possibilitar as trocas. Entretanto, na prática, especialmente para quem adquire mais experiência com o uso desta transmissão, percebe-se que o sistema mostra resultados mais satisfatórios quando o próprio motorista, ao ficar atento ao momento da mudança, alivia o pé do acelerador voluntariamente voltando a acelerar após a troca. Isto deixa a troca um pouco mais agradável e precisa que aquelas que o câmbio consegue fazer sozinho.



A saída

Outro aspecto que pode ser levado em conta é o momento da saída, seja para frente ou de ré. Aqui, o sistema atuará diretamente na embreagem (o câmbio automático clássico possui conversor de torque, o que não é o caso do automatizado). A imprecisão natural do sistema termina produzindo saídas ora bruscas, ora lentas, que podemos classificar como naturalmente ruins. Aqui também vale a sensibilidade do motorista para dosar mais adequadamente o acelerador, ainda com resultados apenas um pouco melhores. A clássica cena onde o motorista deseja colocar o carro "um pouquinho" mais para frente no estacionamento do shopping pode surpreender o desavisado com um salto desagradável. Saídas em ladeiras são ainda mais complicadas.


Acima, o conjunto automatizador da Magneti Marelli.

Manutenção

Temos observado que a embreagem de uma transmissão automatizada apresenta mais degaste que o observado na equivalente manual. Podemos dizer que a embreagem do automatizado se desgasta mais que a de quem anda tranquilo e menos que a de quem costuma "fritar" embreagem dirigindo de forma excessivamente brusca.


A vida média observada destas embreagens tem sido de cerca de 30 a 40 mil quilômetros, quando é necessário fazer a troca. Nessa hora a surpresa não é muito grande, ela não custa tão caro quanto trocar as embreagens de uma transmissão DSG, por exemplo, mas custa naturalmente mais caro que a de uma transmissão manual. Isto se deve a complexidade da operação e a necessidade de eventual reprogramação de módulo, além de outros custos.


Outros problemas

Temos observado problemas também no conjunto automatizador, o que engloba solenoides e atuadores, além da bomba hidráulica e problemas naturais de uma transmissão baseada em manual, como quebras de componentes internos.

Até onde me lembro, encontramos três modelos de transmissões automatizadas: o I-Motion da Volkswagen equipando o Fox e Gol, o Dualogic que equipa modelos da marca Fiat e a Easytronic que equipa veículos da marca GM.


Quer mais DSG? Leia os artigos abaixo:

Câmbio DSG, nasceu para desaparecer?​

Automáticos, automatizados e CVT, qual a diferença?

A fascinante DSG DQ250 também tem seus problemas

Audi Q5 e a transmissão DSG DL501 de 7 marchas


.....................................................................................................................

Excelentes artigos para leitura


Oficina e dicas

Sonhos e realidades do reparo de Corpo de Válvulas

Um guia para as luzes espia de seu carro

Precisou voltar para a oficina? calma…

Sonhos e realidades do reparo de Corpo de Válvulas

O que esperar do reparo do seu câmbio Automático

5 sintomas de óleo baixo no câmbio automático

Por que trocar o óleo do câmbio custa caro?

Câmbio DSG, nasceu para desaparecer?

Seja feliz com seu câmbio automatizado

Automáticos, automatizados e CVT, qual a diferença?


Audi e VW

Audi Q5 e a caixa DSG 7 marchas DL501

Golf e Audi A3 1.4 e 18 Turbo e os problemas do câmbio DSG DQ200

Audi CVT Multitronic 0AW, análise de defeitos e soluções

A Transmissão DSG 02E (DQ250) Volkswagen e Audi também pode apresentar problemas.

Câmbio 09G Jetta, Passat, Bora, Golf e a solução de seus defeitos


Linha Francesa

Novas visões do AL4 - Soluções para Franceses

Sobre o câmbio automático AL4 da linha Francesa Citroen, Renault e Peugeot


Ford, GM, Fiat

Ford Focus, Fusion e Ecosport patinando e com trancos nas trocas

AW 5040LE patina, desengata, faz barulho, mas dá para consertar

Captiva V6 com trancos e problemas na ré – 6T70

Ford Fusion e Edge 4×4 sofrem com a caixa de transferência que se comporta mal

Fusion automático 6 marchas com câmbio 6F35


Asiáticos

Soluções para Transmissão CVT do Mitsubishi ASX

Nissan Sentra, Renault Fluence e Mitsubishi Outlander CVT XTronic -

Câmbio Automático SLXA Honda Civic de 2001 a 2005 e seus problemas


Artigos no site da Solupeças

Lidando com Retornos em Garantia

Os perigos do uso de componentes de vedação alternativos

Como lidar com clientes insatisfeitos

5 hábitos que acabam com seu câmbio DSG

3 formas de valorizar a reforma de transmissão para o clientes de sua loja

Quanto dura uma transmissão reformada

5 erros mais comuns que podem arruinar sua transmissão automática

Problemas com a temperatura de trabalho da transmissão automática

Qual é o tipo de óleo de câmbio automático que eu preciso?

A troca de fluido com máquina de flushing

Diagnósticos com Teste de Vácuo Sonnax

0 visualização

Contate-nos

Horário de Trabalho

Seg-Sex

8am - 6pm

Sab: 

Fechado

Dom: 

Fechado

Contatos

Whats:

Plantão:

Tel.:

WhatsApp.png

Email:

Localização

Portaria principal:
Rua Antônio André Rodrigues 101
Chácara Mafalda, São Paulo - SP 
03372-030

Precisa de um orçamento?

Atendimento fora do hor. com., somente Whatsapp

© 2019 by Automatik Transmissões. 

  • Automatik Instagram
  • Branco Twitter Ícone
  • Automatik Facebook
  • Youtube Automatik
WhatsApp.png