top of page
  • Foto do escritorEquipe Automatik - Sivuca

O que esperar do reparo do seu câmbio Automático

Atualizado: 27 de set. de 2019



Uma intervenção na transmissão automática de seu carro é um assunto que nos deixa sempre preocupados, afinal muitas vezes o custo é bem alto, especialmente comparado com outros reparos que normalmente são feitos no veículo, como troca de pastilhas de freios, amortecedores ou reparos no motor.

O câmbio parece ser uma área mística, fechado com suas centenas de engrenagens, com dispositivos eletrônicos e alto nível de complexidade. Podemos comparar o conserto do câmbio automático com os demais itens do veículo fazendo um paralelo com o mundo da medicina onde algo que quebra no carro, ou no motor vai para a ortopedia, mas se for no câmbio automático, então tem que mandar o sujeito para a neurocirurgia.



A analogia faz sentido se levarmos em conta que o ambiente de reparos das partes internas da transmissão e mais especificamente a parte eletrônica e os corpos de válvulas são extremamente sensíveis a micro-partículas (poeira, fiapos, etc) que podem pairar no ar. É necessário efetuar o reparo em uma sala climatizada e isolada do ambiente externo. Na Automatik, temos um Laboratório. Aqui não entra poeira nem estopa e a entrada é controlada, somente os mecânicos especialistas possuem acesso irrestrito.


O diagnóstico digital

Hoje em dia, todos os veículos possuem vários computadores onde ficam registradas todas suas ocorrências. Então, na maior parte das vezes existe um número enorme de dados que contam o que aconteceu.



Estas ocorrências vão se acumulando. Quando o cliente trás o carro para a oficina, estes dados precisam ser limpos para que possamos rodar com o carro até que os defeitos se manifestem e os dados relevantes comecem a ser registrados para que só então possamos contar com a possibilidade de fazer um diagnóstico confiável. Naturalmente isto é um processo complexo que inclui o acesso ao sistema interno de diversos procedimentos, além da necessidade de rodar com o carro.



O reparo


Feito o diagnóstico, o carro está pronto para ser reparado. São substituídos componentes e testados em campo. O "ataque" é sempre no método de primeiro nível, ou seja, procura-se identificar os itens que possuem maior probabilidade de apresentar defeito para focalizar a linha de ação para o conserto. Na maioria das ocorrências (cerca de 95%), o defeito é solucionado. Então sobram 5% de possibilidade do carro voltar a manifestar defeito. Considero essencial que o cliente saiba disso, mesmo sendo remota, a possibilidade de ter de trazer o carro de volta para a oficina para novas intervenções é fato incontestável, exatamente como acontece quando você está fazendo um tratamento médico que pode ou não gerar resultados plenamente satisfatórios.



Quanto vai durar

Espera-se que uma transmissão reformada apresente regularidade de funcionamento por algo perto do tempo que dura uma transmissão nova, mas isto dependerá da qualidade dos componentes escolhidos e da qualidade na execução dos serviços. Naturalmente é necessário ajuda do usuário, que deverá adotar práticas saudáveis na condução do veículo, especialmente levando em conta que ele já está sofrendo mais devido ao clima quente brasileiro e a péssima qualidade das estradas e ruas de nossas cidades. Evitar acelerações excessivas, desengates desnecessários e observar atentamente a temperatura de trabalho, além de respeitar a troca do óleo da transmissão, são itens essenciais a serem observados quando se quer tratar em um câmbio automático. 

.....................................................................................................................

Excelentes artigos para leitura


Oficina e dicas

Sonhos e realidades do reparo de Corpo de Válvulas


Audi e VW


Linha Francesa


Ford, GM, Fiat


Asiáticos


Artigos no site da Solupeças

3.381 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page